Preocupações e Ambições

O que nos preocupa:

  • Passadas várias décadas de debate e de iniciativas de apoio ao desenvolvimento, decorridos já 4 Quadros Comunitários de Apoio, investidos muitos milhões de Euros, a região Alentejo está cada vez mais longe do nível de vida das regiões mais desenvolvidas da União Europeia.
  • O Alentejo está em perda demográfica desde meados do século passado, tem uma população cada vez mais envelhecida e o mais preocupante é que não consegue reter a população mais jovem e mais qualificada, hipotecando o seu futuro. A desertificação e o despovoamento são também preocupantes.
  • Existe hoje consciência das causas estruturais do nível de desenvolvimento do Alentejo, algumas das quais remontam a muitas décadas; contudo, a sua prevalência na actualidade radica nas áreas da Educação, Formação, Empreendedorismo e Dinamização Empresarial, Emprego e, acima de tudo, na ausência de definição de uma estratégia regional coerente e inovadora.
  • Num contexto global em que as regiões competem e/ou cooperam umas com as outras, que assumem as suas próprias estratégias de desenvolvimento adaptadas às suas necessidades e potencialidades, que reforçam a sua autonomia e capacidade de intervenção, o Alentejo continua a ter dificuldades em definir o seu rumo.

O que queremos:

  • Um modelo de desenvolvimento regional sustentável que permita ao Alentejo caminhar para um futuro mais próspero, com mais oportunidades para os seus cidadãos e que possa atingir o rumo da convergência europeia em matéria de qualidade de vida.
  • Uma cultura de desenvolvimento sustentável assente no empreendedorismo e na capacidade criativa da sociedade civil, na valorização da iniciativa e do mérito e no incremento de atractividade da região para a fixação de Pessoas e Empresas;
  • Um Alentejo que se afirme enquanto região de excelência, que valorize as suas diversas potencialidades, os seus recursos, os seus territórios, as suas identidades, as suas dinâmicas económicas, os seus agentes e as suas populações.
  • Uma região Alentejo que contribua fortemente para o desenvolvimento de Portugal, que produza riqueza, que crie empregos, que se afirme num todo nacional em que a união das diversas realidades regionais traga mais coesão, melhor competitividade e maior sustentabilidade.