• Alentejo de Excelência reuniu comunidade empreendedora em jantar debate.

    March 18, 2018

    Num ambiente inspirador, que mistura património e modernidade, a Alentejo de Excelência reuniu no passado dia 7 de Março mais de 40 pessoas para um jantar-debate subordinado ao tema “Shaping a vibrant entrepreneurial ecosystem @ Évora”, no âmbito da StartUp Europe Week, com o objetivo de debater e discutir como construir um ecossistema empreendedor regional mais “vibrante”.IMG_8152

    Henrique Sim-Sim, Presidente da Alentejo de excelência, deu as boas vindas e explicou os objetivos do jantar debate, realçando que “a Alentejo de Excelência se apresenta como facilitadora de processos de reflexão e ação regional, envolvendo diferentes stakeholders com o objectivo de contribuir para o desenvolvimento de estratégias de médio / longo prazo para o Alentejo, através da participação cívica, inovação e mobilização de vontades e esforços. Esta iniciativa pretende por isso refletir e apresentar propostas concretas para tornar o nosso ecossistema mais atrativo, capaz de criar mais valor, fixar talentos, oferecer oportunidades qualificadas aos nossos jovens, captar investimento e ser fator de desenvolvimento sustentado.”


    IMG_8168Paula Paulino,
    Diretora Executiva do NERE, na sua alocação inicial destacou que é essencial melhorar a cultura de empreendedorismo e, por isso, se deve começar pela  educação, incluindo o Ensino Básico, pois só assim será possível incentivar os jovens a criar e a inovar no futuro. Referiu ainda que “apesar de existir muito por fazer neste capitulo, há medidas que serviram para despoletar o espirito empreendedor de muitos, nomeadamente através das medidas “Vale Incubação” e “Startup Voucher”. No entanto, a forma como os fundos estruturais estão pensados precisa de ser alterada, pois premeia quem espera pelo momento certo para os investimentos, não incentivando ao risco.”

    Por último destacou que faltam incentivos por parte dos Municípios para que os jovens permaneçam nos respetivos territórios, adiantando que está correcto o apoio aos jovens locais para estudarem fora  da sua zona de residência, em território nacional ou internacional, mas seria também importante apoiar a vinda de jovens não residentes para aumentar a massa crítica regional.

    IMG_8190Alexandre Alves, Assistente de Direção no PACT, referiu ao longo da sua intervenção que, apesar de todos falarem de Lisboa como referência, Évora não se fica nada atrás nas condições de partida, havendo em sua opinião, várias semelhanças. Alexandre acredita que “falta promover mais a região através do marketing territorial, que são necessários mais programas de apoio ao investimento específicos para o Alentejo e que os programas de aceleração nas incubadoras do Distrito deverão ser uma aposta na capacitação dos futuros empreendedores”.

    Frisou, contudo, que “o calcanhar de Aquiles passa pela falta de recursos humanos qualificados que impossibilitam muitas empresas de contratar localmente futuros quadros”. Deu importância aos agentes de capital de risco e a importância dos mesmos em investir e apoiar boas ideias que têm um potencial valor, lamentando não existir um enfoque destes investidores no Distrito.

    IMG_8179Quis ainda, dar nota que é fundamental as várias incubadoras continuarem a trabalhar em rede e em conjunto, promovendo as principais valências do território para os empreendedores, tais como a cultura, a segurança e os cuidados de saúde. Terminou a sua intervenção reforçando a importância da educação para o empreendedorismo desde ciclos iniciais de estudo e a urgência de existir uma diferenciação do território, de acordo com a estratégia de especialização inteligente.

    IMG_8175A noite teve também como oradora a Coordenadora da Área Económica da ADRAL, Alexandra Correia que congratulou a Associação por esta excelente iniciativa. A par dos outros intervenientes da noite, destacou uma vez mais, a educação como peça fundamental para recuperar o atraso a nível do empreendedorismo que o Alentejo tinha em relação a outras regiões. Indicou que “é importante que se continuem a criar espaços com características que permitam o desenvolvimento da criatividade e inovação, e que as entidades com responsabilidades na área devem continuar o seu esforço para promover a temática do empreendedorismo.” Tal como o coordenador do PACT, deu a entender que é fulcral continuar o trabalho em rede que se tem vindo a desenvolver entre as várias incubadoras, pois permite a troca de informação, contactos e recursos, além da complementaridade de atividades.

    Por fim, deixou um conjunto de desafios para o futuro, tais como o manter os jovens empreendedores motivados, a transferência do conhecimento e tecnologia dos centros de saber para as empresas, a sustentabilidade geral das infraestruturas, o afunilar das relações entre o rural e o urbano, o aproveitamento dos recursos endógenos e dos clusters, bem como o acesso à habitação no mercado de Évora.

    IMG_8188Para concluir a série de intervenções, fechou Hugo Serra Lopes, Presidente da ANJE do Alentejo, que destacou o quão fundamental é garantirmos a especialização porque, de acordo com o mesmo, não é possível ir a todos os setores. Deu destaque às TIC, agricultura de precisão e à aeronáutica. Referiu que “uma das vantagens comparativas de Évora é a sua proximidade a Lisboa, pelo que deveríamos tirar proveito desse aspeto”. Tal como os outros oradores, deu destaque à edução e ao ensino transversal do empreendedorismo no Ensino Superior.

    Sinalizou ainda os programas de aceleração e a sua importância para a valorização dos jovens empreendedores, adiantando que “não se pode ter medo do fracasso, uma vez que este meio pressupõe a tentativa/erro”. Quis destacar para terminar tal como os intervenientes anteriores, a manutenção da relação de cooperação entre todas as incubadoras.

    IMG_8182O Jantar-Debate contou ainda com intervenções de Pedro Capela, da Junior Achievement Portugal, Daniel Pedreira, da Startup Alentejo, Sérgio Lorca, da Consultora B-Ten, Francisco Moio, do Grupo BNI Évora, Adão de Carvalho, Professor na Universidade de Évora, Tomás Caeiro, CEO da startup City Check, Manuela Santos, Gabinete de Apoio Empreendedorismo da UE, Mariana Candeias da Associação Comercial Distrito de Évora, entre muitos outros participantes.

     

     

     

     

    Para a Alentejo de Excelencia, “os resultados foram amplamente alcançados, realçando-se o facto de existir uma geração nova com vontade de fazer, de colaborar e de alterar o status quo regional no que diz respeito ao ecossistema empreendedor regional. O debate realizado permitiu-nos ter informação muito concreta para apresentar 10 propostas para tornar efetivamente o ecossistema mais vibrante na nossa região”, concluiu Henrique Sim-Sim.

    IMG_8167

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *